06 junho, 2007

6 de Junho de 1975/2007

“Açores

Encanto de nove ilhas de bruma entre o céu e o mar!

Stª Maria, S. Miguel, Terceira, Graciosa, S. Jorge, Pico, Faial, Flores, Corvo.

250 mil almas residentes, 750.000 na diáspora.

A 1.500km do continente europeu, a 5000Km do continente americano.

Céu nublado, por vezes encoberto. Mar encrespado de pequena vaga. Rajadas de vento forte ou muito forte…

Uma pequena economia asfixiada pela disparidade de preços entre a pátria mãe e as adjacentes ilhas.

Rações, adubos, cimenta, combustíveis, tudo, tudo sobrecarregados com elevados custos de transportes e grandes margens de comercialização dos detentores do monopólio das importações.

Elevadas taxas de juro, baixo preço do leite, pequenos agricultores e lavradores cheios de dívidas.

Também a inquietação da classe conservadora pelo receio da perda de benesses e regalias adquiridas

6 de Junho de 1975, a Revolta.

O renascer da açorianidade.

Pela primeira vez a palavra “Independência”.

(In A.O. de 6/6/2000)

3 comentários:

Rui Gamboa disse...

É uma homenagem certa de se fazer. Essas pessoas tiveram a capacidade de se manifestar contra a tendência comunista que começava a ganhar força no continente (que só acabaria com 25 de Novembro) e disseram que nos Açores, não seriam outra Cuba. Se a nossa autonomia deve ou não algo ao 6 de Junho, isso não sei, talvez a ganharíamos noutra circunstância, é sempre difícil fazer esse tipo de avaliação. Agora, uma coisa é certa, apenas uma minoria sabe o que se passou neste dia nos Açores, e isso é preocupante. Ainda não tive a possibilidade de ler o Açoriano Oriental todo, mas nas primeiras páginas não há qualquer apontamento sobre o 6 de Junho, será que também é por aí?

claudio almeida disse...

Rui
Hoje há uma missa em São Pedro em memória dos que ja faleceram.
Só por curiosidade, esse da imagem que esta na frente em cima de um burro, é o meu pai.

Rui Gamboa disse...

E tanta gente, e pelo que sei não estava nada organizado, para tomar essas proporções, as pessoas foram simplesmente aderindo, à forma que iam vendo a manif. Outros tempos, meu amigo, em que as pessoas participavam activamente.