26 dezembro, 2006

30 dias para morrer


Um tribunal de recurso iraquiano confirmou hoje a sentença de morte de Saddam Hussein, sendo que o enforcamento do ex-Presidente iraquiano deverá ocorrer nos próximos 30 dias, anunciou o conselheiro da Segurança Nacional do Iraque.

E depois?

4 comentários:

Anónimo disse...

1º É preciso saber em que ponto estamos emrelação à pena de morte. Se somos católicos, então sermos a favor da pena de morte torna-se uma incoerencia. Eu próprio sou católico e achei aceitável condenar à morte um "gajo" (é a única palavra que me ocorre) como Saddam, mas pensando melhor, ao aceitar a pena de morte estou a ser como ele. Ou seja, o facto dele, pessoas como ele e das suas acções terem causado em mim uma tal raiva que me leva a querer a sua morte, faz-me sentir que não seja melhor que ele, e na verdade eu quero ser uma pessoa melhor que ele, portanto depois de pensar melhor, acho que a melhor solução é encarcerar pessoas como o Saddam até à sua morte, usar os frutos dos seus roubos ao seu povo iraquiano e redisdtribuí-los, e fazer com que ele veja, em vida, que perdeu. Até porque nós não sabemos o que lhe espera na morte, e se ele tem uma "vida" boa depois de morrer?

2º o timing da sentença ao Saddam não poderia ter sido pior, mesmo antes das eleições intercalares para Congresso e Senado dos EUA. Foi uma péssima jogada política que todos perceberam e que não teve resultado nenhum, os republicanos perderam.

Portanto, eu aceito que ele seja condenado à morte, mas...

claudio almeida disse...

Eu concordo que ele seja punido, mas não com pena de morte.
1º porque sou contra a pena de morte, porque acho que ninguem tem o direito de tirar a vida a outro.
2º porque eu acho que o melhor, como dizes, Rui, seria a prisão para o próprio Sadam aperceber-se dos erros que cometeu.
3º Considero o Sadam um lider carismático, porque marcou o nosso tempo, e talvez, seria acabar com a história, ou fazer história mais cedo.

Anónimo disse...

Já tinha comentado, neste mesmo blog, sobre este assunto. A minha opinião mantém-se, e vai de encontro à do Rui Gamboa. Acho extremamente medieval condenaram alguém à pena de morte, quando o seu crime é o assassínio. Estão a matar p mostrar q matar é errado, e p mim, não poderia haver nada mais contraditório.

Anónimo disse...

E hoje, dia 30 de Dezembro de 2006, foi executado, pela calada...