28 maio, 2008

Qual a sua visão política?!

A minha posição.





Segundo o blog do meu amigo Rui Gamboa, poderá ser feito um teste para ver qual a nossa orientação politica.






5 comentários:

ricardo avelar disse...

Epá! Que interessante. Fiz o teste e minha posição, por mero acaso, capricho do destino ou não, deu exactamente a mesma que a tua! :) Coincidências? Abraços.

Tibério Dinis disse...

Fiquei na zona azul, com a mesma próximidade ao centro.

Caro Claudio, obrigado pelo convite, mas a época de orais não perdoa. Um bom congresso e proveitoso para a juventude açoriana.

Abraço

jgoncal disse...

Esse teste tinha sido recomendado à minha turma da FDL, pelo nosso professor assistente de História das Ideias Políticas..

As minhas coordenadas foram: - 1,50 (referencial X - mais à esquerda) e - 3,03 (referencial Y - mais próximo de liberal)..

Tibério Dinis disse...

FDL? Solidariedade açoriana em acção, alguma coisa que precises na FDL avisa.

Cumprimentos

Rui Gamboa disse...

Caros,

O meu resultado está na Máquina de Lavar, mas de qualquer forma digo-vos que sou mais libertário que o Cláudio, mas também mais à Direita (fiquei mesmo no centro).

Há um qustão no teste que devemos reflectir (bem, todas, ou quase todas, são motivo de alguma reflexão): "deve o Estado subsidiar formas de arte que não têm viabilidade económica, por si?"

Não me recordo se a pergunta era feita com essas palavras, mas a ideia é essa. Eu escolhi a opção "a favor", mas não "completamente a favor". Porquê? Existem, de facto, formas de arte e cultura que devem ter o apoio governamental, se falarmos na nossa realidade açoreana, estou a falar de grupos de folclore. Mas quando as pessoas que estão na posição de decidir quem deve receber apoio, se acham donos da verdade sobre aquilo que é "boa cultura, ou não", aí a coisa muda de figura.

Quais os critério, então, para os apoios? Algo que contribua e que seja genuíno da cultura da região em questão. Mais, algo inovador, mas sempre tendo em conta a realidade cultural. Porque se começarmos com os gostos pessoais de cada um, aí tudo se complica.

Olhem, imaginem que era eu que decidia, com o meu gosto musical esquisito - como bem podem comprovar na Máquina - os açoreanos passariam a ter concertos apenas daquilo que eu gosto.

Enfim, divagações minhas....

Cumprimentos a todos!